HAMILTON DE HOLANDA

Blog


Crítica: Hamilton de Holanda transmuta e reverencia obra de Chico

POR SILVIO ESSINGER – OGlobo

Hamilton de Holanda com os filhos, Gabriel e Rafaela, e o pai, o violonista José Américo – Hermes de Paula / Agência O Globo
RIO — Ideias não faltam a Hamilton de Holanda para construir uma das discografias das mais volumosas (em lançamentos e qualidade) da música instrumental brasileira. O disco de Chico Buarque até poderia se apresentar como uma tarefa menos trabalhosa, já que as composições são muito marcadas por seus arranjos originais, mas o bandolinista mais uma vez preferiu o caminho mais difícil, jogando tudo para cima com seu virtuosismo e investindo em conversas de alto nível, num disco em que a obra de Chico ressurge reverenciada e transmutada.

Não precisou muito mais do que a base criativa e segura de Guti Wirtti (baixo) e Thiago da Serrinha (percussão) para que Hamilton soltasse suas rédeas, entre o buliçoso (“A Rita”, “Samba do grande amor”) e o poético (“Trocando em miúdos”, “Samba e amor”). A voz do autor entra bem em “A volta do malandro” e “Vai trabalhar vagabundo”, assim como a da catalã Sílvia Pérez Cruz, em “O meu amor” e (um tanto atropelada pelo bandolim) “Atrás da porta”. Disco além do choro e do jazz, com sotaque atual, “Samba de Chico” termina de forma cândida, com a brincadeira de Hamilton em torno da melodia simples de “A banda” — mostrando que nem tudo são mil notas por segundo.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/musica/critica-hamilton-de-holanda-transmuta-reverencia-obra-de-chico-19137052#ixzz47V7OtCzK

Hamilton de Holanda lança disco em tributo ao samba e a Chico Buarque

POR LEONARDO LICHOTE 21/04/2016 6:00
PUBLICIDADE

RIO – Uma das formas mais rápidas de entender o lugar de Hamilton de Holanda na música brasileira hoje é pesquisar o nome do artista no YouTube. Tem Hamilton tocando jazz na França com seu Quinteto; pagodeando popularíssimo com Diogo Nogueira ou Zeca Pagodinho; relendo “Índios”, da Legião Urbana, num estádio, acompanhado de uma orquestra; ao lado de Wynton Marsalis num Pixinguinha incendiário; fazendo dançar o Circo Voador em seu Baile do Almeidinha… Difícil pensar em alguém que transite como o instrumentista e compositor, que agora se atira na aventura de reler clássicos de Chico Buarque, no álbum “Samba de Chico” (Biscoito Fino). No disco, como em todas as outras empreitadas — estão no forno uma homenagem a Milton Nascimento e um dedicado ao repertório infantil —, ele aparece à vontade.

— É da minha personalidade. Amo choro, mas sempre achei que podia tocar outras coisas no bandolim. Menino, tocava Djavan, Plebe Rude, Legião, coisas que ninguém fazia na época — conta. — Nasci em Brasília, uma cidade jovem, então tinha vizinho mato-grossense, mineiro, pernambucano. Não tenho opinião sobre nenhuma música antes de ouvir. E me comporto perante a música como na vida. No Almeidinha o ritmo é fundamental, e quando toco num teatro posso explorar detalhes das palhetadas, assim como ajo diferente quando estou numa fila de banco e num restaurante.

Hamilton — que lembra que sua formação era de violino e bandolim na escola de música, durante a semana, e rodas de samba e choro no fim de semana, “acompanhando os bêbados” — diz também que ainda hoje ecoa nele um ensinamento do pai:

— Ele dizia: “Aprende a tocar seu bandolim que você vai fazer um monte de amigos”. Tenho muito isso.

ÁLBUM INCLUI INÉDITA DO BANDOLINISTA

Em “Samba de Chico” (um tributo ao gênero e ao compositor), Hamilton segue sua vocação. Há ali, na verdade, um tanto de sua trajetória com Chico, que já fazia parte do seu repertório no Almeidinha, em seu Trio, e em seu duo com o pianista italiano Stefano Bollani.

— Não quis fazer pesquisa para escolher o repertório, fui lembrando coisas de que gostava, que queria tocar e, quando chegou num número bom, parei — conta o bandolinista, que incluiu uma inédita sua no disco. — Fiz a música “Samba de Chico” com um sabor daqueles sambas de Noel, Ismael.

No disco, Hamilton tem a companhia do percussionista Thiago da Serrinha e dos baixistas Guto Wirtti e André Vasconcellos. Ele também recebe três convidados especiais: Bollani (“Piano na Mangueira” e “Vai trabalhar vagabundo”); o próprio Chico (“A volta do malandro” e “Vai trabalhar vagabundo”); e a cantora catalã Sílvia Pérez Cruz (“Atrás da porta” e “O meu amor”). De passagem pelo Brasil, Sílvia participará do Baile do Almeidinha neste sábado.

PUBLICIDADE

Hamilton explica que nas releituras buscou sempre expor um olhar novo, alternando momentos de maior ou menor reverência sobre o original. Em cada faixa, um caminho:

— Em “Construção”, fiz o arranjo com a letra do lado, achava importante ali transmitir, sem a letra, o sentimento poético da música. “O meu amor”, na qual Sílvia participa, tem as palmas do flamenco, mas no ritmo do samba. Acabou soando como uma morna cabo-verdiana. “Quem te viu quem te vê” quis desconstruir mesmo, só entrego no fim. Quando Chico ouviu pela primeira vez, demorou a sacar: “Que música é essa? É minha?”.

Baile do Almeidinha

Onde: Circo Voador — Rua dos Arcos s/nº (2533-0354).

Quando: Sáb., às 21h30m.

Quanto: De R$ 10 a R$ 60.

Classificação: 18 anos (de 14 a 17 com os pais).

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/musica/hamilton-de-holanda-lanca-disco-em-tributo-ao-samba-a-chico-buarque-19134764#ixzz46XX7ZOYy

Hamilton de Holanda – Premio Profissionais da Música 2016

Hamilton de Holanda é o Melhor Instrumentista do país, segundo o Prêmio Profissionais da Música 2016!
Queremos agradecer por todos que votaram e participaram desta edição.
Uma alegria esse reconhecimento!

Confira abaixo os vencedores da edição de 2016 do Premio Profissionais da Música 2016:

MODALIDADE CRIAÇÃO

Autor
Thiago Amud
Instrumentista
Hamilton de Holanda | Bandolim
Cantor
Pedro Sá Moares
Cantora
Verônica Ferriani
Arranjador
André Vasconcellos
Hip-Hop
Lurdes da Luz
Gospel
Anayle Sullivan
Instrumental
Panorama do Choro Paulistano
Rock’n Blues
Adriano Grineberg
Metal & Hardcore
As Verdades de Anabela
Groove & Pop
Aláfia
Raiz Regional
Chico Lobo
MPB
Roberta Campos
Folclore e Cultura Popular
Mawaca
Samba Choro
Galo Cego

MODALIDADE PRODUÇÃO

Editora
YB Music
Produtor Artístico
Conrado Goys
Produtor Executivo
Genildo Fonseca
Selo ou Gravadora
Pôr do Som
Egenheiro de Gravação
Lindenberg Oliveira
Engenheiro de Mixagem
Ricardo Mosca
Engenheiro de Masterização
Carlos Freitas
Designer
Karina Santiago
Fotógrafo
Karina Santiago
Diretor de Vídeo Clip
Igor Damasceno
Produtor de Eventos
Mariana Martinez
Estúdio de Gravação e Mixagem
Estudio 185 Apodi
Estúdio de Masterização
Classic Master

MODALIDADE CONVERGÊNCIA

Distribuidora Digital
CD Baby
Festival de Música
Festival Porão do Rock
Start Up
Sympla
DJ
DJ GustavoFK
Projeto Cultural Musical
Concerto Secreto – Orquestra Petrobras Sinfônica
Canal de Divulgação de Música
ShowLivre.Com
Programa de TV ou WebTV
Sotaques do Brasil
Web  Rádio
Rádio Graviola
Programa de Rádio
Programa é Papo Firme
Canal do YouTube
Pôr do Som
Plataforma de Negócios
SIM São Paulo

‘Vai trabalhar vagabundo’: Hamilton de Holanda regrava clássico de Chico Buarque

Fotos divertidas de Hamilton de Holanda e Chico Buarque ilustram a capa do single (à direita) que o bandolinista lança com o clássico “Vai trabalhar vagabundo”, de Chico. A gravação original da música está fazendo 40 anos (é do disco “Meus caros amigos”, de 1976), idade que Hamilton completou esta semana.

Chico fez os vocais da nova versão da canção. O lançamento é dia 8 e dá um gostinho do quem vem por aí: o álbum “Samba de Chico”, em que Hamilton interpreta canções do compositor. O CD sai no fim deste mês pela Biscoito Fino.

Hamilton de Holanda é finalista da segunda edição do prêmio profissionais da música

FINALISTAS DA SEGUNDA EDIÇÃO DO PRÊMIO PROFISSIONAIS DA MÚSICA

É com muito prazer que disponibilizamos a lista completa com os 117 finalistas das 39 categorias da segunda edição do Prêmio Profissionais da Música 2016.

De amanhã [15 de março] até o dia 20 de março, os jurados convidados e já divulgados em nosso site, avaliarão os trabalhos encaminhados no ato da inscrição dos respectivos finalistas, e assim concluir o processo de votação que se iniciou com o voto dos profissionais cadastrados e inscritos e posteriormente com o voto do público, que se encerrou na noite de ontem após 4967 votos computados.

Os resultados finais serão anunciados nas cerimônias de premiação que acontecerão, nos dias 2 e 3 de abril de 2016, nas instalações do Teatro Brasília na capital do Brasil; e onde, os escolhidos do ano receberão o troféu Fernando Brant.

Ressaltamos que o evento, com entrada franca mediante retirada de ingressos, acontecerá entre os dias 1º e 3 de abril com uma farta programação incluindo: exposição sobre Fernando Brant, rodadas de negócios, painéis, talkshows, workshops e  showcases.

Ao mesmo tempo em que agradecemos todos que se inscreveram, participaram, colaboraram e votaram; reforçamos os votos de encontrá-los em Brasília nos próximos dias 1, 2 e de abril de 2016, e assim curtir os finalistas, compartilhar informações, gerar oportunidades e prestarmos uma grande homenagem a Fernando Brant.

Prêmio Profissionais da Música 2016 | da Criação à Convergência | #ppm2016

MODALIDADE CRIAÇÃO

Autor
Pitty
Eduardo Gudin
Thiago Amud

-

Instrumentista
Hamilton de Holanda | Bandolim
Ricardo Valverde | Vibrafone
Marcelo Camargo Mariano | Baixo

-

Cantor
Pedro Sá Moares
Alex Gonzaga
Rafael Cury

-

Cantora
Verônica Ferriani
Pitty
Karina Buhr

-

Arranjador
Siba
André Vasconcellos
Fábio Peron

-

Hip-Hop
Lurdes da Luz
Atitude Feminina
Viela 17

-

Gospel
Banda Catedral
Oficina G3
Anayle Sullivan

-

Instrumental
Afrojazz
Panorama do Choro Paulistano
Funqquestra

-

Rock’n Blues
Adriano Grineberg
Rio Claro
André Prando

-

Metal & Hardcore
André Moraes
As Verdades de Anabela
John Wayne

-

Groove & Pop
Surf Sessions
Seu Preto
Aláfia

-

Raiz Regional
Chico Lobo
João Triska
Claudio Lacerda

-

MPB
Mariana Baltar
Nô Stopa
Roberta Campos

-

Folclore e Cultura Popular
Trio Nordestino
Chico Lobo
Mawaca

-

Samba Choro
Bia Goes
Paula Sanches
Galo Cego

-

MODALIDADE PRODUÇÃO

Editora
Deck
Azul Music
YB Music

-

Produtor Artístico
Fernando Anitelli
Conrado Goys
Marcos Portinari

-

Produtor Executivo
Sérgio Mendonça
Paulo Almeida
Genildo Fonseca

-

Selo ou Gravadora
Pôr do Som
Sonora
Deck

-

Egenheiro de Gravação
Lindenberg Oliveira
Carlos Cacá Lima
Rodrigo Lopes

-

Engenheiro de Mixagem
Ricardo Mosca
Bernardo Goys
Daniel Musy

-

Engenheiro de Masterização
Carlos Freitas
André Dias
Betho Ieesus

-

Designer
Karla Pê
Alexandre Magno
Karina Santiago

-

Fotógrafo
Stela Handa
Alexandre Magno
Karina Santiago

-

Diretor de Vídeo Clip
Camila Inês
Rafael Kent
Igor Damasceno

-

Produtor de Eventos
Laura Lopes
Luciana Pegorer
Mariana Martinez

-

Estúdio de Gravação e Mixagem
BongÔMusics
YB Music
Estudio 185 Apodi

-

Estúdio de Masterização
Classic Master
Sun Trip Mastering
Post Modern Mastering

-

MODALIDADE CONVERGÊNCIA

Distribuidora Digital
Believe Digital
CD Baby
OneRPM

-

Festival de Música
Festival Porão do Rock
Festival de Arte e Cultura de Cavalcante
DMX Awards

-

Start Up
Revista Acorde!
Sympla
NetShow.Me

-

DJ
Rodrigo Lobbão
DJ Craca
DJ GustavoFK

-

Projeto Cultural Musical
Concerto Secreto – Orquestra Petrobras Sinfônica
I\I’ll Be There/ Homenagem a Michael Jackson
Caravana Sotaques do Brasil – Circuito de Arte e Cultura CPFL

-

Canal de Divulgação de Música
ShowLivre.Com
Blog e Site Cult 22
SomosMusica

-

Programa de TV ou WebTV
ShowLivre
Onde anda a canção?
Sotaques do Brasil

-

Web  Rádio
Radio Federal
Vibe FM Brasil
Rádio Graviola

-

Programa de Rádio
Programa é Papo Firme
Cultura Vibe
Cult 22 Transamérica

-

Canal do YouTube
ShowLivre
Pôr do Som
Projeto Studio62

-

Plataforma de Negócios
SIM São Paulo
Rio Music Buzz
Corinthians by Napster