HAMILTON DE HOLANDA

BLOG / Arquivo do mês: março 2014


O BAILE ESTÁ FLORIDO!

Por THAMINE LETA(09.03.2014)

A regra no Baile do Almeidinha é clara: casais que arrasam na dança de salão deslizam na pista ali na fila do gargarejo; quem fica no arroz com feijão do dois-pra-lá-dois-pra-cá baila beeem atrás. “Hoje o samba saiu/ Lá iá lá iá, procurando você/ Quem te viu, quem te vê”, canta o bandolinista Hamilton de Holanda, organizador da gafieira, que teve mais uma edição anteontem, no Circo Voador.

Ao contrário das versões anteriores, quando eram quatro mulheres para cada homem, desta vez eles compareceram em peso, mesmo desembolsando bem mais do que elas — o esquema era “mulher paga R$ 1 até 21h”. “Fazemos essa gentileza para mostrar que somos cavalheiros”, diz o DJ Lencinho.

Tinha mais homens do que o normal, mas a mulherada continuava sendo maioria. “O baile está florido”, definiu um rapaz, puxando uma moça para o salão. No meio da pista, via-se alguns pés de valsa fantasiados, como Pedro Henrique Vieira, que foi caracterizado de stormtrooper, da tropa de elite do Império Galático da série “Guerra nas estrelas”.

O simpático nome do evento não foi escolhido por acaso. “Baile do Hamilton não soava legal, aí lembrei que na adolescência me chamavam de Almeidinha”, contava o “dono” da noite, que foi criada para os músicos se divertirem. “Somos amigos, moramos na mesma cidade, temos que nos encontrar para tocar”.

Os amigos daquela edição eram o violonista gaúcho Yamandu Costa e o compositor Pedro Luís, que vinha direto de Porto Seguro depois de uma maratona carnavalesca. Não teve ensaio e o repertório foi decidido na hora. Pedro Luís escolheu cantar “Folhas secas”, de Nelson Cavaquinho e Yamandu foi de Tom Jobim e sambas antigos.