HAMILTON DE HOLANDA

BLOG / Arquivo do mês: agosto 2017


5 anos de Baile do Almeidinha

Que baile! Hamilton de Holanda e a banda A Magnífica fizeram uma apresentação especial de comemoração pelos cinco anos do Baile do Almeidinha, no dia 10 de agosto! Foi uma noite emocionante em homenagem ao gigante Luiz Melodia e ao Jorginho do Pandeiro, que iria participar da última edição no Rio de Janeiro, mas por motivos de saúde não pode estar presente, vindo a falecer alguns dias depois.

A banda voltou ao Circo Voador depois de uma turnê pela Itália e por Portugal. Coincidentemente, foi a sua exata 100ª edição! Desde o seu surgimento já recebeu mais de 200 convidados ilustres, sempre com a nossa super banda no palco. Nessa edição, eles contaram com a participação do cantor e ator Alexandre Nero, que soltou o gogó e botou a galera pra cantar junto músicas de Luiz Melodia num coro comovente. Também rolou a apresentação de 3 gerações de pandeiristas num momento incrível dedicado a Jorginho do Paneidro: Celsinho do Pandeiro (filho de Jorginho), Marcos Suzano (discípulo de Jorginho) e Bernardo Aguiar (discípulo de Suzano).

A noite foi uma síntese do que foram esses 5 anos de Baile. A galera mergulhou no gingado e acompanhou o ritmo e a emoção que estava sendo produzida no palco.

E o que seria desses anos de Baile sem os seus personagens? Segue aqui um pouco sobre cada um. Confira!

Hamilton de Holanda, nosso comandante:

Esse bandolinista meio carioca, meio brasiliense é um músico do mundo com a alma essencialmente brasileira. Começou a carreira ainda menino, aos 5 anos de idade e desde então não parou mais. Já são mais de 32 lançamentos em 36 anos de profissão. Do choro ao jazz, tudo ressoa natural e incrível entre os seus dedos. É o nosso Jimmy Hendrix do bandolim. E é com toda essa experiência e virtuosismo que bota a galera pra dançar, requebrar, pular ou só escutar o seu bandolim de 10 cordas ao lado dos seus parceiros de palco!

Marcelo Caldi, nosso sanfoneiro:

Além de um super querido, é um grande arranjador, cantor, compositor e um dos principais responsáveis pela revitalização da sanfona no cenário contemporâneo brasileiro, passeando com ela por diversos gêneros musicais. Cursou bacharelado em composição na Uni-Rio, e iniciou a carreira em 1998, trabalhando com alguns corais, tocando com alguns cantores e escrevendo arranjos. Tem 13 discos lançados! Entrou na turma na gravação do disco. Desde então, agita a moçada do Baile com sua sanfona intensa!

Rafael dos Anjos, nossa figura do violão:

Brasiliense, é da nova geração da nossa música, mas com o seu violão super contemporâneo, já acompanhou bastante gente, como Arlindo Cruz, Paulo Moura, Sivuca e Dominguinhos, entre outros grandes nomes! Também é um arranjador incrível! Começou a tocar violão com 11 anos e hoje com a sua criatividade ímpar, leva uma mistura rítmica para os pés e corações do público do baile pelo Brasil e pelo mundo!

Guto Wirtti, o gaúcho do contrabaixo:

De família musical, começou a tocar violão aos 6 anos de idade e aos 12 já trazia o contrabaixo debaixo do braço, passando a trabalhar com artistas locais. Estudou em Salvador e se mudou para o Rio de Janeiro a convite de Yamandu Costa. Aqui, além de tocar com o violonista, passou a trabalhar com diversos outros artistas de peso da nossa música, como João Bosco,Nicolas Krassik, Leo Gandelman, Gabriel Grossi, Marco Pereira, Luiz Melodia, Mart’nália e tantos outros.

Com toda a sua versatilidade, é um dos principais nomes do contrabaixo brasileiro! E para a nossa alegria, ele integra a banda do Baile do Almeidinha, transpondo a sua experiência e criatividade pro calor das noites de Baile! Ôh sorte!

Thiago da Serrinha, nosso grande percussionista:

Criado nas rodas dos morros cariocas, carrega no sangue e no nome a tradição do Jongo da Serrinha, manifestação cultural associada à cultura africana no Brasil e que influiu poderosamente na formação do samba carioca.

Além de percussionista, é cavaquinista, bandolinista, compositor e produtor. Apesar de jovem, já tocou com bastante gente de peso, como Elza Soares,Mariene de Castro e Wilson das Neves! Suas ideias rítmicas sensacionais desenham o nosso baile, marcando os passos e cadenciando os quadris da moçada!

Xande Figueiredo, um dos maiores bateristas brasileiros:

Começou a tocar bateria aos 13 anos e estudou percussão clássica na Escola de Música Villa-Lobos. Desde então já tocou todo tipo de música, dominando com segurança diversos gêneros. A lista de artistas com quem já trabalhou não tem fim! Nela, figuram nomes como Leila Pinheiro, Leo Gandelman, Sivuca, Cazuza, Carlos Lyra, João Bosco, Ed Motta, Elza Soares, Baby do Brasil, Rosa Passos, Johnny Alf, Leny Andrade e tantos outros! É uma honra e um luxo só ter suas baquetas nas nossas noites de Baile do Almeidinha!

Aquiles Moraes, nosso super trompetista:

Ele começou a estudar música cedo, em 1998 na banda Sociedade Musical Fraternidade Cordeirense aos 8 anos de idade! Seguiu os estudos na Escola Portátil e na Unirio. Já tocou com uma super galera, como Wynton Marsalis, Maurício Carrilho, Maria Bethânia, Zeca Pagodinho, Mônica Salmaso, Ney Matogrosso e tantos outros gigantes da música. Atualmente, é integrante de vários grupos de música instrumental, como Os Matutos! O Baile do Almeidinha muito se alegra por nos presentear com toda essa sua força, criatividade e brasilidade no sopro!

Eduardo Neves, o gigante do sopro:

Ele já tem mais de 30 anos de carreira! Tem um forte trabalho autoral e também arrasa quando está em grupos. O nosso flautista e saxofonista teve Carlos Malta como professor aos 10 anos de idade, e mais tarde o maestro Copinha. Nascido e criado no Rio de Janeiro, começou a tocar com gente grande ainda jovem. Já acompanhou nomes como Tim Maia, Hermeto Pascoal, Zeca Pagodinho, Luiz Melodia, Elton Medeiros, Johnny Alf, Dona Ivone Lara, Milton “Bituca” Nascimento e tantos outros! Além disso, já lançou 3 CDs próprios: “Balya” (1994), “Pagode Jazz Sardinha’s Club” (1999) e “Gafieira de Bolso” (2003). E é com toda essa experiência e singularidade que o seu sopro agita as noites ao lado da banda do Baile do Almeidinha!

Frango Kaos, o nosso técnico de som alto astral:

Ele é fundamental pra tudo ocorrer bem no Baile! Sem ele, o som chegaria meio caótico até nós. Nascido em Taguatinga, no Distrito Federal, é uma figura conhecida na cena do rock de Brasília com a sua banda de hardcore “Galinha Preta”. Cantor e compositor, ganhou o apelido de Frango antes de ser integrante da banda, quando ainda criança. Magrelo e com um cabelo moicano, estava em uma tarde normal com seus amigos do colégio, quando foi chamado assim por uma menina que passava. O apelido pegou e hoje ninguém mais o chama de Ricardo Silva.

Marcos Portinari, um principais idealizadores do Baile:

Ele foi um dos pioneiros no bodyboard no Brasil. Viajou o mundo pegando ondas e chegou a morar fora por um tempo. Quando voltou ao Brasil, desenvolveu um projeto de um espaço multimídia no lounge que havia no Rio Design Leblon, numa época em que era tido como novidade. Havia computadores abertos ao público, além de palestras, peças de teatro e shows. Hamilton de Holanda, então, foi um dos convidados para tocar no espaço. E foi assim que em 2004 eles se conheceram e Portinari tornou-se o seu empresário, produtor e agora parceiro musical!

Ele é um cara que está sempre à frente do seu tempo. Com a sua mente criativa, está antenado a tudo! O Baile do Almeidinha surgiu em meio a uma conversa com Maria Juçá. Eles pensavam em fazer um show para as pessoas dançarem, a ideia se desenvolveu e já se vão 5 anos de sucesso de Baile! Viva! Obrigadão Portina!

Fellipe Cabral, o nosso querido assistente de produção:

Fellipão, como a equipe o chama, é o assistente de produção do Marcos Portinari. Esse rapaz alto astral ao lado da estátua do Pixinguinha nasceu no Rio de Janeiro e trabalha com o Hamilton de Holanda e o Portinari há 8 anos! Faz de tudo um pouco e está sempre à postos pro que precisar! O Império Serrano circula em suas veias e tem raízes no carnaval carioca. E é com toda essa energia que suinga para que tudo ocorra bem no Baile!

Vivi e Maria, o nosso duo da comunicação:

A nossa assessoria de imprensa é especial. É uma dupla incrível que organiza as informações sobre o Baile para que elas cheguem da melhor maneira até o público.

A nossa querida Vivi Drumond está presente na divulgação desde o nascimento do Baile em 2012, quando ainda trabalhava no Circo Voador. Hoje, faz a comunicação em parceria com a casa de shows. Formada em jornalismo pela Faculdade Facha do Rio de Janeiro, é responsável pela assessoria de imprensa e pela movimentação das redes sociais de diversos músicos sensacionais como Geraldo Azevedo, Hamilton de Holanda e Pedro Luís. Ela tem como braço direito a sua estagiária Maria Carolina, a caçula da equipe. Estudante de jornalismo da PUC-Rio e de família musical, Maria trabalha ao lado da Vivi desde o início do ano e já é considerada da casa.

Circo Voador, a nossa casa:

O Baile nasceu nos bastidores do Circo em 2012. Em uma conversa entre Maria Juçá, Marcos Portinari e Hamilton de Holanda surgiu a ideia de fazer um show para as pessoas dançarem. Eles se empolgaram e desenvolveram algo parecido com a “Domingueira Voadora”, projeto que Paulo Moura e Severino Araújo fizeram no Circo há alguns anos.

Desde então, já se passaram 5 anos de sucesso com mais de 200 convidados sensacionais e com um público agitado! A casa sempre nos abraça de uma forma super calorosa com todo o clima incrível da equipe e do espaço, nos deixando bem à vontade. Já voamos para outras cidades do Brasil e da Europa, mas voltar para o Circo tem sempre um gostinho especial! Viva o Circo Voador!

O público, um dos personagens principais:

É uma galera bem variada, tem gente de todas as idades, de todas as tribos e de todos os jeitos! Tem o pessoal que dança como típicos bailarinos de gafieira, tem os que dançam sozinhos, tem aqueles que só se balançam, os que soltam o gogó e cantam junto os temas populares e aqueles que ficam só ouvindo o som. Que mistura boa! Com geral respeitando seus espaços. Um super obrigado a vocês que sempre nos recebem de braços abertos com tanto carinho e de forma tão calorosa!